Tropa de Resgate

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Tropa de Resgate

Mensagem por Bruno01 em Qui Nov 24, 2011 5:10 pm

Os membros da Tropa são responsavéis de trazer os semideuses perdidos para o acampamento. Eles sempre arranjam problemas, como monstros e etc. Eles tem um clube, e um Deus específico, que dá as coordenadas, animais para locomoção, e apoio para eles encontrarem os semideuses perdidos. É um dos trabalhos mais dificéis, e mais respeitados pelo acampamento.

Mínimo de Linhas: 15.
Recompensas: Até 5000xp; Até 1000 dracmas.

_________________
Poseidon senhor dos mares detentor dos terremotos criador dos hipocampos e patrono de Atlântida  

avatar
Bruno01

Mensagens : 111
Data de inscrição : 26/07/2011
Idade : 21

Ficha do personagem
HP:
9999999/9999999  (9999999/9999999)
MP:
9999999/9999999  (9999999/9999999)
Level: Unlimited

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Paulo Moura Labarete em Ter Ago 28, 2012 8:00 pm


Recebi uma missão de recuperar dois sátiros e dois campistas que estavam perdidos em patrulha para-lá-das-fronteiras. Logo fui, e, naturalmente, chamei a Sam para me ajudar. Levamos nossos lobos para lá, e logo ao chegar fomos atacados por algumas formigas estranhas, Myrmekos os nomes, se não me engano. Sam queria atirar as flechas dela, mas eu disse que era melhor guardá-las - nunca se sabe o que se esconde naquelas florestas -. Entendendo nossos sinais, nossos lobos dão cabo da maioria dos Myrmekos, deixando só uns dois para nós. Matamos ambos. Começo a ouvir o zumbido que sinto quando alguém está prestes a morrer. Peço que Sam se apresse. Nós corremos floresta adentro, e lá encontramos um Leão de Nemeia. O zumbido fica cada vez mais forte. Sam, entendendo a situação, pede que eu corra e ache quem está em perigo. Fico meio ressentido em deixá-la sozinha, então faço um clone de sombras para ajudá-la, uma habilidade de filho de Hades que eu já aprendi a usar há um tempinho. Sigo em frente, e quando o leão tenta me atacar, Sam acerta uma flecha no olho dele. A mira de uma caçadora realmente é infalível. Sam ordena que sua loba venha comigo. O Leão se vira para ela, e à partir disso eu já não vi. O zumbido começa a ficar insuportável, e quando eu achei que fosse ficar louco, ele cessa. "Alguém morreu", penso. Vejo um rastro, dois pares de pegadas de Sátiro e dois pares de pegadas humanas. Um par de pegadas de sátiro para de aparecer, e um par das de humano ficam mais fundas. "O Sátiro estava sendo carregado...". Uso minha habilidade de Sensor para notar que existe uma flecha dourada perto das pegadas, em certo ponto. Um detalhe em metal me permitiu percebê-la. Um filho de Apolo. Continuei o caminho, preocupado com Sam. Quando vi um monte de terra revolvida, desenterrei o conteúdo: Um sátiro morto. Teria o zumbido vindo de lá? Usei o colar de almas para contatar o Sátiro, e ele não me disse muita coisa: Só me apontou para onde tinham ido os outros do grupo dele, e disse que ficaram perdidos porque seguiram um vulto enquanto estavam na patrulha. Ele e o outro sátiro se encontraram com eles no caminho, e os seguiram por pura curiosidade. Antes de pensar nas informações, o zumbido recomeçou. Como que para me parar, apareceu outro Leão de Nemeia. "Porcaria, não posso deixar alguém morrer..." Então Caronte e a loba de Sam olham para mim com um olhar confiante.
- NÃO! Um leão de Nemeia iria matar vocês em dois minutos!!!
Eles olharam para mim com um olhar confiante, e jurei para mim mesmo que iria voltar rápido para ajudá-los.
-Se não derem conta, sigam meu rastro, mesmo que o Leão siga no seu encalço!
E fui embora. O zumbido começava a se tornar insuportável quando vi porque estava zumbindo: O segundo sátiro estava quase morrendo, no chão, com uma mordida de um animal beeem estranho. Eu não tinha opções... A menos que me utilizasse de minha habilidade de invocar esqueletos, ele iria morrer. Eu já havia gastado 30% do meu MP e nem havia chegado na parte difícil, ao que tudo aparentava. Invoquei os cinco esqueletos, e os ordenei que o deixasse no limite do acampamento meio-sangue. Algum patrulheiro iria o encontrar. Se ordenasse que entrassem mais, poderiam ocorrer mal-entendidos. Continuei o caminho. O zumbido não cessava. Logo vi porque: Havia uma quimera, e atrás dela, dois semideuses: O filho de Apolo que eu tinha notado e uma que eu não reconheci. O filho de Apolo estava em condição deplorável, e a outra não muito melhor. Me parecia estranho que o Filho de Apolo estava com uma expressão horrorizada em relação à outra semideusa. Daí o zumbido. Comecei a lutar com o a Quimera, me utilizando mais da espada, á fim de guardar meu MP. E eu não podia usar minha habilidade preferida: Já era noite, não haviam sombras. "Tomara que Sam já tenha matado o Leão". A luta com a Quimera não me pareceu muito difícil: Ela me arranhou e eu a atingi, e ela se desfez. Ainda bem. Quis saber se Sam estava bem, e só tinha um meio: Usar o colar de almas. Se funcionasse, ela havia morrido. Mas quando fui por a mão no pescoço, ele havia sumido. A semideusa não-identificada estava com ele na mão.
- Procurando por isso?
- Por favor, me entregue... É importante para mim.
-Venha pegar hihihi
Nesse momento, uma flecha lunar atingiu a mão dela. Ela gritou, e eu senti alívio. Era Sam com os nossos lobos.
- Incompetente, como você pôde deixar dois lobos matarem um Leão??
- Eles conseguiram?
-Sim, mas...
- Então cala a boca e me ajuda!!!
Achei que a semideusa estava brincando... Peguei o colar e perguntei seu nome. Conferi o nome com o colar. Esse nome estava morto. E há muito tempo. Esmurrei a garota e disse:
- EXPLIQUE-SE! SEU NOME ESTÁ MORTO!
Ela riu. E se revelou. Era uma górgona. E essa parecia beeeeem forte. Então perguntei:
- Os leões e as quimeras estão á seu serviço, certo?
- Hihihihi sim, Cria de Hades idiota.
Sam soltou uma flecha na boca dela. Mas a flecha sumiu. Entendi o que havia acontecido. Era tudo uma distorção. Ela tinha essa capacidade. Incrível. Ou horrível. Expliquei a história para Sam. Ela começou a ficar desesperada. Joguei um pouco de fogo nela. De novo sem sucesso. Então Caronte mordeu-a e ela gritou. Entendi o que havia acontecido. Ela só podia distorcer coisas que não fossem vivas. Ou coisas do gênero. Expliquei novamente à Sam. A górgona parecia brava.
- VERÃO AGORA O QUE É PODER! IREI FAZER COM QUE SUAS ARMADURAS SE APERTEM ATÉ QUE MORRAM HAHAHAHAHA!
Ela começou por Sam, que havia espetado uma flecha na mão dela. Então me ameaçou.:
- Se atreva a se mover, e sua amiga morrerá mais lentamente hahahah!
Caronte jogou fogo nela e ela gritou, apertando mais um pouco a prisão de Sam. Por que ela não distorceu as chamas?
Havia entendido. "Sam, aguente mais um pouco... Por favor..." E comecei a tentar fazer alguma sombra com a luz do arco de Sam. O filho de Apolo, caído, parece ter entendido. Usou algum poder de Apolo, ou recebeu uma bênção do pai, não sei. Sei que ele começou a brilhar intensamente. Com a luz, vêm sombras. "ÓTIMO!" A górgona não havia compreendido. Sem me mover, como ordenado, comecei a mover minhas sombras, gastando toda a energia que me restava, para fazer uma técnica que eu estava "ensaiando" há algum tempo. Acumulei todas as sombras embaixo dela, enquanto Sam gritava de dor. Tinha de ser rápido. Quando criou-se um enorme círculo negro em volta dela, fiz o que queria. As sombras se levantaram, e começaram a amassar a górgona, cortá-la, e machucá-la intensamente. Quando não aguentei mais segurar a técnica, a górgona gritou e se desfez. Levamos o Filho de Apolo ao acampamento. Estava tudo bem, afinal. Ou não. Quando estávamos voltando, Alessandra apareceu e nos disse para voltar: Um novato nunca daria conta da missão que viria agora: Recuperar um filho de Hypnos enquanto havia duas quimeras, dois leões, uma górgona e um dragão à solta na floresta. Ela pareceu surpresa quando viu que s[o faltava um dragão e uma quimera. O zumbido recomeçou. Estava ficando insuportável, e quando chegamos à sua origem, notamos que o Filho de Hypnos estava bastante ferido e sozinho contra uma quimera e um dragão. Ale havia trazido Ambrosia e néctar, e nos deu para comer, enquanto ela lutava sozinha com um dragão.O dragão tentou por diversas vezes cuspir fogo nela, mas sempre com graciosos, precisos e rápidos movimentos, ela desviava. Por vezes, ficou invisível com seu boné de invisibilidade, e golpeou ele com sua lança. Mas ele acertou uma patada nele. Eu usei as minhas sombras para aparar a queda, e ela disse para que cuidássemos da quimera. Sam e eu achamos até fácil, eu invoquei esqueletos para atacá-la de perto e distraí-la enquanto eu e Sam atirávamos flechas e fogo nele. Viramos à tempo de ver Ale enfiando a retirando sua lança da garganta do dragão, matando-o. Peguei o filho de Hypnos nas costas, e fomos ao acampamento. Tudo estava bem (De verdade)


Atena: 2500 XP e 1000 Dracmas. Ficou Muito bom.
avatar
Paulo Moura Labarete
Filho(a) de Hades
Filho(a) de Hades

Mensagens : 96
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18
Localização : Onde você menos espera

Ficha do personagem
HP:
172/172  (172/172)
MP:
211/211  (211/211)
Level: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Alessandra Seixas em Ter Ago 28, 2012 9:35 pm

Era um dia comum no acampamento meio sangue, acordamos com a concha soando e fomos tomar café da manha e depois nos íamos fazer as atividades que o acampamento proporcionavam como esgrima, parede de escalada ,aula de latim ,equitação ,aula de arco e flecha ou ate mesmo aula pra controlar seus poderes , tudo para preparar semideus para sobreviver no mundo lá fora .
Então depois de terminar meu café da manha fui para aula de esgrima onde encontrei um filho de Ares que eu tinha derrotado numa luta na semana passada, ele e claro não reconhecendo sua derrota pediu revanche logo aceitei . ele levantou sua espada e eu a minha começamos a lutar , ele usando seu tamanho e força a seu favor e eu usando minha inteligência para fazer estratégia e minha leveza ao meu favor .ficamos um bom tempo lutando ate que ele se distrai com uma filha de Afrodite que estava vindo em nossa direção ,aproveitando disso usei o cabo de minha espada para o deixar atordoado e depois girando minha espada para que acertasse no cabo da espada dele fazendo com que automaticamente a largasse quando ele fez puis minha espada em sua garganta impedindo que ele a pega-se e falei ;
-Ganhei novamente !
O filho de ares bravo falou
-não ganhou nada ! você sabia que eu esta distraído me atacou então não vale .
Eu não acreditando no que ele disse falei
-claro que vale, além disso, eu não tenho culpa se você distrai fácil.
Era bem provável que ele ia me responder numa forma para maiores de 18 anos com direito a xingamento ofensivos sobre minha mãe (o que seria um erro )mais foi interrompido pela chagada da filha de Afrodite falando
-Ei Alessandra pediram para eu te falar para ir para casa grande pois tem um MI para você ! e não me pergunte quem é na MI porque eles não me falaram .
Filhas de Afrodite seu muito curiosas adoram ficar sabendo das coisas para depois ficar fofocando por ai.
- Ok ,Obrigada pelo recado .....e você –disse apontando para o filho de Ares –sugiro que quando estiver lutando com alguém fique concentrado na luta .
-A sua .....
Mais já era tarde de mais para ele falar qualquer coisa, pois já estava correndo para Casa grande .Quando cheguei lá entrei a casa grande e a primeira coisa que vi foi uma nevoa que sempre aparecia quando recebíamos uma MI e de lá apareceu um rosto conhecido já por mim ,o resto do deus que era chefe do clube da tropa de resgate onde fosso parte .
Assim que eu me aproximei do MI fiz uma referencia e o deus falou
-Levante-se Alessandra filha de Atena você já deve ter imaginado o significa essa mensagem de MI ,não sabe ?
Endireitei-me e olhei para o deus e disse firme
-Presumo que tenha um semideus que esta precisando ser resgatado.
O Deus sorri para mim e disse
-Exato . você terá que resgatar um semideus que provavelmente e filho dos três grande e terá que o trazer em segurança para o acampamento para que seja treinado como se deve.
Um filho dos três grande? Eles atrai o dobro de monstro que qualquer semideus .terei que bolar um plano para que eu posso trazer ele o mais rápido possível para cá .Ainda pensando nisso perguntei;
-Onde acho esse Semideus?
O deus falou
-Você vai encontra -lo na Califórnia em um internato chamado Wellspring Academies ,Leve tudo que precisar e boa sorte semideusa !.
Depois disso fui direto para meu chalé pegando tudo que eu talvez ia precisar ,roupas ,minha espada , boné de invisibilidade, escudo de ouro ,a lança media e meu livro sobre como se defender das vacas verdes alienígenas -quem sabe nesse resgate eu vou ter que lutar com vacas verdes alienígenas . Depois de pagar tudo que precisava fui para o lado de fora e assoviei bem alto para que minha Fênix visse ate mim ,ele era lindo ,tinha penas  brilhantes douradas, e vermelho-arroxeadas ,ele tinha o tamanho de uma águia por ser ainda um filhote. Ele pousou no meu ombro onde fiz um leve carinho em seu bico e disse ;
-a gente vai regatar um semideus Erão. (Erão significa luz ou iluminado )
Erão beliscou de leve o meu dedo como se tivesse concordando comigo .Dei um sorriso para ele e disse
- vamos lá então.
--------------------------------------


A viajem foi tranquila tive que pegar um avião para chegar a Califórnia ,era o jeito mais rápido e seguro para se viajar, bem a menos que você seja filho de Poseidon ou de Hades então era bem provável que essa seria sua última viajem . Mais como eu não era foi tudo tranquilo . Arão estava no meu colo ,mais para isso precisei alterar a nevoa em torno dos humanos .
Assim que sai do aeroporto peguei um taxi ,o motorista era um homem gordo que quando me viu falou
-não levo pessoas de graça garota ,então sé não tiver dinheiro pode ir saindo do taxi .
Não gostei nenhum um pouco dele ,cara mal educado .
-Eu tenho dinheiro Sr. então me leve para o internato Wellspring Academies .
O homem fez uma cara de desgosto mais começou a dirigir, olhei para a janela procurando Arão que eu tinha o soltado para que ficasse voando em torno do taxi ,encontrei em cima do capo do carro . Foi assim a viajem ate Wellspring Academies . Assim que chegamos na frente da escola o motorista parou o taxi e eu o paguei e sai do Taxi .
Assim que entrei na escola usei o truque da nevoa para que os mortais achassem que eu era uma aluna nova a diretora me levou para a “minha classe “.quando cheguei na sala os alunos todos confundidos pela nevoa começaram a fofocar sobre minha vida que eu era uma nova aluna etc, revirei os olhos com isso ,escola era tudo igual adoravam uma fofoca .mais os unicos que não pareciam acreditar muito na história de nevoa era um garoto sentado no fundo da sala com um cara desconfiada para mim .
A Professora se apresenta e me fala para ir me sentar ,o único lugar disponível era no lado do menino desconfiado .Bom ele não caio na nevoa que fiz então isso significa 1-ela e um monstro 2-ele e o Semideus que tenho que resgatar 3-ele a um bandido e pretende me roubar ,Tenho certeza que a terceira opção não é então me sobra duas opções .Quando me sento na cadeira ao lado a professora olha para mim e fala:
-Por favor Sra.seixas acompanhe a leitura do livro .
Concordei com a cabeça, puxando meu livro e fingindo que acompanhava a leitura que um aluno da frente da classe estava fazendo ,mais a todo momento sentindo que estava sendo observada olhei para trás para ver quem era meu observador ,percebi que era o mesmo garoto que não se enganou com a nevoa ,olhei para ele o estudando tentando decidir se ele era um monstro ou o semideus que eu devia buscar,meu estudo foi cortado com a voz da professora ;
-Sr Maximos por favor continue a ler onde a Sra.poklika parou .
O menino que estava me olhando ficou branco quinem um papel e disse nervoso
-Pro..Professora eu nãooo consigo ler ,eu eu tenho dislexia .
A professora ainda olhando para ele falo brava:
-isso não significa que e impossível de ler,vamos leia .
Sem alternativa o Menino começou a ler, ou melhor tentou pois ele não consegui-o e a classe dava gargalhadas a cada tentativa falha dele .No final minha pergunta estava respondida era ele o semideus que eu teria que resgatar .
O final da aula finalmente chegou ao tocar do sino,o menino rapidamente pegou seu material e saio correndo da classe ainda sendo soado pela tentativa de leitura dele ,peguei meu “material “ e o segui . Segui ele ate no final de um corredor escuro que era bem provável que dava para o dormitório masculino ,quando finalmente percebeu que estava sendo seguido parou e olhou para trás e disse ;
-o que você esta fazendo aqui? E não vem me dizer que e uma aluna nova que eu sei que você não é .
Olhei para ele tentando decidir se contaria a verdade ou não ,mais fui interrompida com uma voz grossa falando
-o que vocês estão fazendo aqui ?Ainda não acabou as aulas e não e permitido mulheres no dormitórios masculinos !
Me virei para a voz e o que vi me chocou era um homem alto com a aparência quase militar a única coisa que tirava o porte Militar era o macacão de zelador da escola ...eu não era tão burra em achar que ele era um zelador ...na verdade sabia exatamente o que era e isso não me agradava nadinha ele era um manticure .
O menino logo quando o viu tentou se explicar o me aproximei mais dele para o proteger de qualquer ataque. ,o “zelador” notando isso dando uma risada ignorando as desculpas do menino falou;
- Então o acampamento finalmente mandou um integrante da tropa de resgate em ?kkk
Sabia que não tínhamos muita chance com ele num corredor escuro mais que opções eu tinha ? lutar ou morrer essa as únicas saídas .E o menino ?mal sabia que pertence ao um mundo em que ele nada mais é do que simples comida ou inseto para que monstros e deuses pudessem nós usar .não nós não íamos morrer aqui eu não permitiria ,se for para morrer irei morrer numa forma nobre e não nas mão dessa criatura .
Procurei alguma coisa que o distrai-se o suficiente para eu puxar minha espada e meu escudo de dentro da bolsa ,mais o que ? Enquanto minha cabeça trabalhava em um plano o “zelador “ menticure falou ;
-vamos fazer o seguinte não tente fugir que darei uma morte rápida e com pouca dor ou tente fugir e darei uma morte lenta e dolorosa .
O menino assustado falou
-ta de brincadeira né ? tipo você ..não ..não vai matar a gente né ?
O manticure deu uma risada maléfica e falou
-pareço estar brincando Semideus ?
-Semideus ? eu não sou um... -começou o menino-Calado !o tempo de vocês acabaram !
Com isso o menticure começou a se transformar e mostrou sua verdadeira forma





O menticure virou as costas para atacar seus espinhos na gente ,sem muito o que fazer pego o garoto no braço e nós jogamos no chão só deu para sentir o vento onde os espinhos voaram e um gemido de dor olhei para o nado e vi o menino segurando a perna onde um dos espinho o acerto ,não tendo tempo para ver a gravidade de seu machucado rolo para o lado e pego minha espada e meu escudo a lança o pego e choco em direção ao menino ,depois me ponho de pé antes que o manticure comece atacar novamente ,com um movimento rápido da espada tiro o rabo de espinho o Menticure .
O menticure ruge de ódio e tenta me atacar com suas garras ,desvio do ataque com o escudo mais por uma distração minha a outra garra pega em meu ombro fazendo um estrago bem feio ,fico fora de areia por 2 segundos por causa da dor mais tempo suficiente para o menticure me jogar para a parede com forço. O impacto do meu corpo com a parede faz com que a parede quebre fazendo um barulho alto . "Ótimo so me faltava essa um bando de mortais achando que eu estou atacando um o pobre zelador da escola "
O menticure tenta atacar mais uma doze de espinhos em mim ,mais desvio rolando para o lado e aproveito e pego minha espada e me ponho de pé novamente ,quando me ponho de pé começo a escutar passos vindos na direção do corredor ...então era hora de acabar com o menticure e levar o menino para o acampamento ,o menticure tenta me atacar novamente Desvio do ataque e pulo nas costas dele .
Quando pulei nas costas do menticue percebi tarde de mais que não era uma boa ideia o espinho das costas do manticure perfuraram minha perna ,tive que morder minha boca para não gritar alto ,mais aproveitando que eu estava já nas costas no monstrengo enfio minha espada na cabeça dele o fazendo gritar de Dor e começar a se debater fazendo com eu caia de novo no chão novamente ..mais minhas pernas estava muito machucados para eu me levantar novamente olhei para o lado esperando minha morte mais de vez disso vi o manticure com minha lança atravessada no peito ...quando o menticure se transformo em pó dourado vi quem foi que atravessou a lança no menticure e se pensou no Semideus que ainda não sei o nome .
Ele veio em minha direção e falou excitante
-você ta bem?e acho que você tem que me explicar tipo o porque o zelador da minha escola se transformo em um monstro e porque ele me chamou de semideus ?
-ok tenho muitas coisas para explicar mais antes precisamos sair daqui Ai !-ponho a mão da minha perna
-nossa você ta sangrando !
Olhei para ele seria - minha roupa esta toda rasgada e cheio de sangue e ele só agora nota ?Tive que me controlar para não dar um tapa na cara dele e falar "a não e sangue ...e ketchup não estava vendo eu comendo com o Sr monstro ? " de vez disso achei melhor chamar Erão
-ok precisamos sair daqui entes que o todo o colégio venha aqui e veja esse desastre pegue minha bolsa por favor ..... há qual e seu nome mesmo ?
-Naruto meu nome a Naruto -Ele pega minha bolsa e tras para mim
-Obrigado -pego em minha bolsa e procura o néctar que tinha pegado para a missão o pego e tomo um gole e depois dou para Naruto
-Toma vai te curar mais não exagere ou você vai virar churrasco .
Ele toma um cole hesitante mais depois toma um gole maior então o lembro
-se tomar mais um gole vai virar churrasco em ! -disse me levantando do chão e pegando minha espada e minha lança e pondo dentro da bolça .
-Porque eu ia virar churrasco tomando essa gostosura ?
Assovio alto chamando Erão e falo
-porque e comidas dos deuses e se os semideuses exageram na doze acabam virando churrasco e morre .
-Comidas dos Deuses ? Semideuses ? você não ta falando que eu sou um Semideus né ?
-Sim você e um Semideus filho de um deus mitológico que pelas suas características acho que e bem provável que seja Hades .
-Hades ? mais isso e mitologia grega esses deuses não existem .
-Não existem ?-nesse momento Erão chaga voando
o Naruto arengue-la os olhos para minha fênix que pousa levemente em meu ombro
-por acaso a minha fênix e o "zelador " não existem Naruto ?
Naruto fica sem fala e depois fala
-se esses deuses são reais de quem você e filha ?
-Atena deusa da sabedoria -agora vamos estes que venha mais monstros .
Eu e Naruto saímos da escola e pegamos um ônibus ate Nova York no caminho eu explicava tudo para ele sobre Mitologia e sobre o acampamento .Assim que chagamos em Nova York pegamos o taxi das irmãs cinzentas ate o acampamento quando chegamos agradeci os Deuses por termos chegado vivos e entramos no acampamento levei o novo campista ate a casa grande onde ele foi reclamado como filho de Hades e onde acabo minha primeira missão na tropa de resgate com sucesso .


Atena: 3000 XP, 2500 Dracmas e 1000 XP pro pet. Adorei *-*


_________________


Razz Alessandra Seixas Filha de Atena E chefe da tropa de resgate Surprised
avatar
Alessandra Seixas
Filho(a) de Atena
Filho(a) de Atena

Mensagens : 122
Data de inscrição : 13/10/2011
Idade : 21
Localização : minha casa

Ficha do personagem
HP:
170/170  (170/170)
MP:
160/160  (160/160)
Level: 10

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Paulo Moura Labarete em Qui Ago 30, 2012 11:18 am


Estava de patrulha quando recebi uma missão de recuperar dois semideuses perdidos na Patagônia. Atena me pediu que o fizesse, e me entregou alguns selos, dizendo que eram capazes de selar o poder de um semideus filho de um Deus menor que ela em um raio de 50km². "Uau", pensei, "Não tinha lugar mais longe e frio não?". Fui, meio de mau humor, mas fui. No avião, li na revista de bordo sobre um possível ataque de uma criatura mística justo em Punta Del Fuego, onde estavam os semideuses. Achei estranho. Normalmente, eu ligaria para alguma autoridade para pegar alguma informação, mas estava em um avião. Então mordi meu dedo e ofereci um pouco de sangue ao meu colar de almas à fim de falar com um dos mortos que constavam na notícia. Ele concordou em me dizer o que era. Disse que era algo negro e disforme, não só um, mas vários. Agradeci pela informação e segui viagem. Quando cheguei no aeroporto de Buenos Aires, para fazer escala, subiu um homem meio suspeito. Sem artifícios, retirei a ponta da corrente de andrômeda da caixa e a pedi à ela que me apontasse possíveis perigos. Ela apontou para o homem. E para mais meia dúzia de pessoas... Logo entendi o que era. O primeiro se revelou: Um esqueleto, e os outros acompanharam: Todos esqueletos. Todos os outros passageiros já haviam descido, só restavam eu e os esqueletos. Rapidamente, eu saquei um tridente de Libra e ataquei um deles. Quando outro veio me atacar, usei minhas sombras para estrangulá-lo. Quando destruí o segundo, os outros cinco entenderam o que se passava: Eu era um filho de Hades. Logo, eles se curvaram perante à mim:
- Meu lorde.
- De onde vieram? Iriam para Punta Del Fuego comigo?
- Não devemos falar isso...
me utilizei de minha Presença Amedrontadora, e apontei a Blade of Olympus à eles. Eles compreenderam bem rápido.
- Falem, ou então conhecerão a espada que me foi presenteada por Zeus!
- Fomos enviado por nosso Lorde. Devemos extrair os filhos de Hypnos e Thanatos.
- E quem é esse Lorde? Como fariam isso?
- Não devemos falar... PREFERIMOS MORRER À ISSO, LORDE-CHEIRO-DE-MORTO!!
Cortei a cabeça dele com a Blade. Apontei a arma para um segundo.
- Vai me dizer de bom-grado ou não?
- Lorde... Nós...
Nesse momento, usei novamente a Presença Amedrontadora e levantei a voz:
- OUSARÃO DESRESPEITAR Á MIM?
- Lorde... Nós obedecemos ao Lorde das Sombras... Ele nós ordenou que levássemos os filhos de Thanatos e Hypnos à ele, à fim de transformá-los em Príncipes do Submundo.
- Por quê?
- Ele nos prometeu a vida.
- Como? O que esse Lorde das Sombras é?
- Não falaremos.
Matei ele. Os outros deram a mesma resposta. Matei todos. Desci do avião, e vi o trabalho que a Névoa havia feito: Eles haviam visto uma explosão do tanque de combustível do avião. Ficaram surpresos em ver que eu estava vivo, e me deram uma nova passagem. Ainda demoraria uma hora. Nesse meio tempo, acessei uma Lan House no aeroporto, mesmo sabendo que era arriscado. Vi um novo noticiário. Os moradores de uma parte de Punta Del Fuego estavam dormindo há dias. Só o próprio Hypnos ou um semideus muito forte teria poder para isso. Tinha de chegar lá mais rápido... Fui ao banheiro, tranquei a porta e chamei Íris. Pedi que ela me colocasse em contato com qualquer Semideus experiente. Ela o fez, e comecei a conversar com ele. Pedi que ele contatasse um Deus, ou qualquer outra autoridade sobre o que estava ocorrendo. Ele disse que contataria. Então fiz mais algumas perguntas, e ele disse que Hypnos e Thanatos eram mensageiros de Hades, que guardavam o lugar onde o mesmo ficava, mas que ultimamente não tinham sido vistos nem pelo próprio. Segui viagem. Era arriscado ir pelos ares sendo um semideus, mas eu devia chegar lá o mais rápido possivel. A viagem dessa vez foi tranquila. Cheguei a Punta Del Fuego e contatei Íris novamente. Pedi que me levasse à um Filho de Atena. Ela me trouxe a Alessandra, e eu perguntei á ela se enquanto eu estava no avião algo aconteceu. Ela disse que os que estavam dormindo morreram, e outros começaram a dormir. Agradeci e me despedi. Continuei viagem até o Hotel onde ficaria. Logo na entrada, haviam pessoas dormindo, e eu comecei a ouvir um zumbido insuportável... Alguém estava em perigo... Quando me virei, havia alguém lá. Dois. Um era loiro, e aparentava calmo como nunca havia visto antes, como se não soubesse o que se passava... quase dormindo... Óbvio que seria filho de Hypnos, Deus do sono. O outro parecia impaciente, e parecia que o zumbido vinha dele. Ele obviamente seria um filho de Thanatos, Deus da morte. Logo compreendi: Eram os semideuses que vim resgatar. Logo disse:
- Olá, sou Paulo, vim buscar vocês para o acampamento meio-sangue, vocês são...
- Semideuses, sabemos. - Completou rudemente o impaciente
- Então venham comigo... Aqui é arriscado... - Pedi
- Não precisamos disso... Estamos bem por aqui... Ou acha que existe alguém que seja ameaça dormindo? Eu simplesmente ponho todos para dormir... - Disse o que parecia calmo.
- Vocês acham que estão seguros, mas podem ser atacados! Venham logo!
- Não nos dê ordem, cria bastarda! - Disse o impaciente
- Acalme-se... Vamos nos apresentar... Sou Egeo, filho de Hypno...
- Hmph, Sou Adone, filho de Thanatos.
- Então venham, por favor!!
- Não se apresse... Temos de terminar nosso trabalho...
- Estes terão uma morte rápida... E você não pode sair daqui vivo... - Me apontou uma espada.
- Onde arranjou isso? É perigoso!
- Não lhe interessa... Lutemos... - O paciente sacou uma espada também.
- Eu não...
Vieram para cima de mim. Então rapidamente saquei a Blade e revidei o ataque em um deles, enquanto me desviava do outro.
- Você é bom... Devo matá-lo...
- Cale-se e deixe-o para mim, Egeo!
- Se você diz...
Adone veio para cima de mim com uma estranha aura... O zumbido estava quase me deixando louco à esta altura. Estava começando a entender. Bem, não podia deixar óbvio que eu era filho de Hades, isso poderia trazer minha morte... Então fiz o que poderia: Tirei um escudo e um tridente de Libra e parti para o ataque. Usei a corrente do escudo para imobilizá-lo. Egeo veio para cima de mim com uma espada enorme, e então eu usei o Tridente para desarmá-lo, e apontei-o para sua garganta. Ele então usou sua habilidade:
- Durma... E morra...
Comecei a ficar sonolento... Então saquei o escudo da caixa e usei a corrente dele para amarrá-lo também. Fui para longe deles, e me recuperei da tontura.
- Você é... Bom...
Nesse momento, eles ficaram cobertos por uma aura dourada e roxa-escura, e sumiram de lá.
- Mas... O quê?
Coloquei de volta as armas na Caixa, ficando somente com a Blade. Então notei o que deveria fazer. Antes de entregar o selo, Atena disse que ele age em uma área de 50Km quadrados. A cidade tinha 300. Então eu notei que deveria colocar os seis selos em lugares estratégicos, e que Egeo e Adone haviam me indicado um. Se eles começariam a carnificina por lá, obviamente lá era um centro. Coloquei então um selo por lá, e todos acordaram. Não fiquei lá para saber o que fariam. Procurei os outros centros através de um mapa e coloquei um selo em cada. O último centro era um aeroporto, e lá eu vi que Caronte havia chegado. Eu havia pedido que mandassem Caronte através de uma linha aérea de animais. Segui com Caronte para uma fonte á fim de me contatar com alguém. Joguei um dracma para Íris, e a pedi que me contatasse com Atena. Atena disse que depois de selar a cidade eu deveria procurar pelos semideuses em uma casa perto do aeroporto, e que se eles continuassem resistindo à vir ao acampamento, deveria matá-los. Cheguei lá, e vi os dois. Eles pareciam bravos:
- Você... Mais uma vez? - Disse Egeo
- Saia! - Disse Adone.
- Tenho ordem de levá-los... Ou matá-los. Virão comigo?
Os dois começaram a rir loucamente.
- Você? Nos matar? - Disse Egeo. Até rindo ele parecia calmo.
- Pode ter nos derrotado no hotel, bastardo, mas não nos derrotará em nossa área! - Disse Adone. Então tudo começou a rodar, e eu me encontrei no submundo. Eles estavam zombando de mim:
- Não pode sobreviver no submundo... Se renda... - Com seu tom calmo, perguntou Egeo.
- Não. Ainda não sabem nada de mim. - Ri eu.
- Maldito! Era um bastardo de Hades! - Irritou-se Adone.
Saquei as espadas de Libra e ataquei à eles. Sempre que eles tentavam me atacar, eu usava uma forte rajada de fogo verde, devido às minhas habilidades, que são aumentadas no Submundo. Rapidamente eles perderam.
- Pai... desculpe... - Disseram em uníssono. Porém, nesse momento, apareceram dois seres com um poder incrível.

- Quem são vocês?
- Hypnos... Pai de Egeo... - Respondeu o loiro. Sua calma era tanta que me acalmava também... Seria algum poder de um Deus?
- Thanatos! Pai de Adone! - Respondeu o outro. Sua ira quase neutralizou a calma de Hypnos. Voltei ao normal.
- Provavelmente vieram me ajudar... Sou Paulo, Filho de Hades. O que estão fazendo aqui?
- Viemos... Matá-lo... - Disse Hypnos
- Por quê?
- Nós somos o tal Lorde das Sombras. Curve-se perante nós, e talvez possamos te perdoar. Nós vamos nos rebelar contra Hades, e iríamos fazer dos filhos que você matou Príncipes do Submundo. E devemos matar todos os filhos de Hades. Talvez possamos fazer de você um servo, caso se curve perante à nós e renuncie seu sangue... - Disse Hypnos, dessa vez com menor calma.
- Nunca o farei! Não tentem me fazer trocar de lado! Meu pai por acaso sabe disso? - Perguntei
- Chegou ao ponto! Devemos matá-lo, Hades não deverá saber disso! Achamos que trazer você para cá seria suficiente, mas não foi! Nossos filhos tinham nossa bênção, por isso não morreram, agora você sobreviveu por sorte de ter o pai que tem! - Disse Thanatos.
- Mas ele saberá dessa rebelião, irei contatá-lo agora! - Disse eu
- Não se nós o impedirmos... - Disse Hypnos.
- Não o farão! - Usei o transporte de sombras para ir ao castelo de meu pai. Procurei Caronte, até que me lembrei que o havia deixado do lado de fora da casa onde encontrei Egeo e Adone. Era demasiado perigoso. Quando cheguei ao castelo, arfando, somente Perséfone estava lá.
- O que quer aqui, fruto de infidelidade?
- Onde está meu pai? Thanatos e Hypnos pretendem destruí-lo!
- Hmph, está às margens do Estige... Se correr talvez o alcance...
- Mas é urgente! Não vê que ele está em perigo?
- Tch, então o ajudarei - Assobiou, e um tipo de cavalo apareceu. - Ele o levará até Hades em segundos.
- Obrigado... Senhora.
- Hmph, apenas vá.
O cavalo me levou até meu pai... Ele estava às margens do Estige, banhando algumas armas nele.
- Ora filho, não esperava encontrá-lo aqui.
- Pai... É urgente... Hypnos e...
- Thanatos, sei disso. Achei que a rebelião não seguiria em frente. Mas pelo visto seguiu. Devo derrotá-los.
Seguimos pelo caminho pelo qual vim. encontramos ambos.
- Thanatos e Hypnos... Por que se rebelam? - Disse meu pai
- Queremos mais consideração! - Disse Thanatos
- Mais?
- Sim... Por isso o mataremos!
Nesse momento, Hades vestiu um tipo de armadura.
Thanatos e Hypnos haviam o atacado, mas ele nem sentiu. Rapidamente, usou uma esfera negra para atacá-los.
- Morram!
- Pai... Por favor, dê uma chance à eles... Eles não sabiam o que estavam fazendo... Basta que dê algum posto de confiança à eles, e eles não voltarão a se rebelar...
- Quem lhe garante isso, Paulo? - Perguntou papai.
- A lógica. Se eles queriam reconhecimento, dê à eles o que querem, e se tornarão ótimos servidores.
- Hmph... É difícil encontrar tão bons servidores... Ótimo. Irei os perdoar... Depois resolvemos o reconhecimento que queriam.
- Agradecemos, Lorde Hades.
- Portanto, deverão agradecer à meu filho. Sangue de meu Sangue.
Viraram-se para mim.
- Sangue do sangue de nosso Lorde, nossas eternas vidas são suas.
- Posso voltar agora?
- Claro... Volte para nos visitar de vez em quando. - Papai sorriu e me mandou de volta para de onde vim. Caronte estava lá me esperando. Brinquei um pouco com ele e segui viagem se volta ao acampamento meio-sangue.
Voltei para o acampamento meio-sangue, onde Atena mandou que me dessem os parabéns em seu nome, e fui dormir no Chalé de Hades. Foi uma grande aventura.
Fim de Narração.


Ártemis- Esta muito legal ... Parabéns 3.000 XP e 2.000 Dracmas


Última edição por Artemis em Ter Set 04, 2012 11:07 am, editado 3 vez(es) (Razão : Erros de português)
avatar
Paulo Moura Labarete
Filho(a) de Hades
Filho(a) de Hades

Mensagens : 96
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18
Localização : Onde você menos espera

Ficha do personagem
HP:
172/172  (172/172)
MP:
211/211  (211/211)
Level: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Paulo Moura Labarete em Sex Ago 31, 2012 11:15 am


Eu devia saber que Perséfone iria cobrar algo pela ajuda que me ofereceu quando estive no Palácio de Hades. Só não sabia que iria ser tão rápido. Recebi um chamado, e ela me pediu um "favor". Pediu que eu fosse ao Palácio de Hades novamente para receber uma missão, e que levasse mais dois semideuses, que estariam sob a proteção dela, para que não morressem ao chegar no submundo. Hades abriu um portal perto da fronteira do acampamento para nos levar. Resolvi levar Miranda e Samantha. Ao entrar na porta do submundo, fomos parar diretamente no castelo de Hades. Perséfone nos disse que dos principais guerreiros do submundo, os chamados Estrelas Celestes, quatro deles e seus subordinados estavam revoltosos. Ela nos disse os nomes e nos pediu para derrotá-los e trazer a paz de volta ao submundo, nos disse onde encontrá-los, e disse que voltássemos, ela nos daria a localização de uma filha de Dionísio. Aceitamos. Logo que saímos do castelo, encontramos o primeiro desafio:


Ele se disse Lune de Balron, Estrela Celeste da Eminência e um dos revoltosos principais, e rapidamente usou seu chicote para me prender. Sam atirou uma flecha em sua mão e ele me soltou. Ficou bravo com ela, e jogou um ataque nela, mas Miranda entrou na frente dela:
- Idiota, agora irá ao Tártaro por seu idiota ato de heroísmo! Esse ataque transporta pessoas através do submundo!
Rapidamente, tirei o Escudo de Libra da Caixa-Guarda-Tudo e o joguei em volta de Miranda, para que a mesma não fosse embora. Enquanto isso, Sam jogou uma flecha lunar nele. Ele gritou de dor e jogou o ataque dessa vez em mim. Sem o escudo, eu pouco poderia fazer... Então concentrei minha energia e usei a fissura nele. Ele foi embora. Mas não antes de amarrar o chicote em todos nós. O chicote queimava ao toque. Eu me livrei dele primeiro, e logo depois usei a Blade os Olympus para livrar Sam e Miranda. Se esse era o nível de um deles, não sei qual seria o mais forte de todos. Torci para que fosse aquele. Seguimos caminho para onde Perséfone nos indicou. Entramos em um tipo de prisão, onde um pequeno ser de armadura escura nos atacou. Foi fácil derrotar ele, ele pareceu nem resistir. Quando entramos, encontramos o segundo desafio:

Ele se disse Éaco de Garuda, Estrela Celeste do Heroísmo, e usava um tipo de armadura negra espetacular. Explicou que Lune de Balron era somente o mais fraco dos 4 Líderes da Revolta. Ele seria o terceiro em poder, mas seria suficiente para nós. Então usou um ataque estranho, e nós começamos a derreter... Porém, quando jogaram uma flecha nele, ela o trespassou imediatamente. Entendemos que era uma ilusão. E ilusões normalmente deixam de funcionar quando descobertas. Essa terminou. Então eu joguei fogo verde nele, mas ele pareceu nem sentir, e se disse capaz de resistir perfeitamente à ataque elementais. Rapidamente, saquei os Tridentes de Libra e o ataque, enquanto Sam e Miranda usavam suas Flechas Lunares nele. Ele não conseguiu desviar de tudo, e a flecha de Miranda e eu o acertamos. Porém ele mirou um ataque em Sam. Um ataque estranho. Ele elevou os braços, e jogou Sam à um nível tão alto que eu julguei que ela seria incapaz de sobreviver à técnica. Mas ela não subiu muito mais. Desceu levemente até o chão, onde um tipo de explosão de gravidade a atacou. Ela sobreviveu, mas eu julguei que se não fosse uma semideusa E Caçadora de Ártemis, teria morrido. Levantou-se com dificuldade, e então Miranda disse que iria encará-lo sozinha. Consenti e fiquei cuidando de Sam. Quando terminei, deixei Sam segura se recuperando e vi Miranda e sua loba lutando com Éaco. Ele novamente usou o ataque que acabou com Sam, enquanto Miranda jogava uma flecha extremamente brilhante nele.
- Conheça o Voo de Garuda você também! - e usou o ataque. Foi exatamente a mesma coisa, uma grande subida, uma descida lenta, e a explosão gravitacional. Miranda levantou-se, muito machucada, e usou outra flecha. Mas dessa vez, tinha um brilho idêntico à própria lua. Éaco se surpreendeu, gritou, e caiu derrotado. Disse que poderíamos passar, e que a armadura dele e de Lune de Balron eram nossas. Miranda e Sam estavam péssimas. Dei um pouco de ambrosia e néctar à elas, assim como as armadura, e elas se recuperaram bem. Continuamos. Encontramos uma segunda casa, e mais alguns seres insignificantes que matamos rapidamente. Ao entrar na segunda casa, encontramos uma pessoa que se disse Radamanthys de Wyvern, Estrela Celeste da Fúria.

Começamos o ataque. Tirei as Tonfas de Libra da caixa e as usei para canalizar um jato de chamas negras. Diferente de Éaco, ele sentiu, e Sam e Miranda jogaram uma flecha nele, as quais ele também sentiu. Ele então ficou bravo, e então começou a canalizar energia:
- Sintam o Rugido e Wyvern!
Ele então soprou uma energia enorme, que nos jogou longe. Sam então disse para deixarmos aquele juíz com ela. Ela e sua loba foram atacá-lo, mas ele usou novamente o rugido. Dessa vez, ambas desviaram, e jogaram uma flecha em chamas em seu peito. Ele sentiu as flechas, e gritou:
- Sintam agora o verdadeiro poder de Wyvern! A Grande Onda de Destruição!
Ele usou a Onda e saíram vários círculo de sua mão, bem lentos. Sam não desviou de um, e uma explosão imensa a afetou. Ela levantou-se devido à armadura de Garuda que usava. Mas esta se destruiu. Junto com a de Balron. Ela viu os círculos e entendeu o que devia fazer. Se colocou em frente aos círculos, e os atravessou pelo meio, junto com a loba. Quando chegou à Radamanthys, seu punho brilhava com um incrível brilho prateado. Ela soltou o que se encontrava em seu punho e a pequena lua que saiu de lá destruiu Radamanthys.

Ele disse para seguirmos caminho até o Líder da Revolta, Minos de Griffon. Ao chegar perto de uma terceira casa, um exército de seres de armadura negra apareceu. Seu líder disse que eram todo o exército da revolta. Sam, Miranda, suas lobas e Caronte, minha loba, ficaram para destruir o exército, enquanto eu seguia para destruir Minos. Quando entrei na última casa, Minos estava me esperando.

- Sou o líder da revolta. Volte e talvez eu não o mate... - Me jogou uma pequena esfera azul, que explodiu, me ferindo um bom bocado. Tossi sangue já no primeiro ataque... Que poder era aquele?
Usei a habilidade de Magnet para trazer as armas de Libra que estavam na caixa e criei sombras para manuseá-las. Ataquei-o e o feri um pouco. Fiquei com o escudo. Joguei ambos os escudos em volta dele, e o prendi. Ele riu:
- Acho que não posso ficar brincando...
Surgiu uma aura roxa, e as corrente afrouxaram. Ele saiu e gritou:
- MARIONETE CÓSMICA!

Os fios que saíram de seus dedos me enrolaram, e eu senti uma dor imensa. Ele me contorcia como bem entendia. Nunca havia sentido tal dor... Então me veio uma ideia... Se derrotamos Radamanthys, Éaco e Lune com o poder de Ártemis, por que não fazer o mesmo com Minos? Usei a Bênção de Ártemis, e uma luz prateada começou a sair de mim. Os fios dele quebraram-se, e eu usei um tipo de combinação que me veio na mente, no calor do momento. Usei os fogos negros e verdes, combinados à luz que saía de mim.
- Fogo Lunar!!
Minos gritou e se desfez. Quando saí da casa, cambaleando, vi que os outros revoltosos haviam sido mortos por Sam, Miranda e nossos lobos. Recolhemos as armaduras (Ou o que restou delas) de Minos, Lune, Éaco e Radamanthys e a levamos a meu pai. Perséfone e ele agradeceram. Perguntamos onde estava o semideus perdido
- Oras, bem aqui! Vimos suas batalhas e resolvemos que seria melhor trazê-las até vocês!
Ela acenou, e uma garotinha de uns 7 anos saiu de lá.
- É uma filha de Dionísio... Cuidem bem dela - Pediu meu pai
- Claro que vamos. Venha, garota - Sorri para ela. Quando estávamos indo embora, levando a filha de Dionísio, que disse se chamar Scarlet, Perséfone disse:
- Têm a minha gratidão, caçadoras.
- Obrigado, senhora.
Hades também agradeceu. Quando Miranda e Sam foram embora, Hades me agradeceu:
- É bom saber que sempre posso contar com meu filho - Sorriu - Essas armaduras que me trouxeram ainda serão úteis um dia...
Disse à ele que poderia sempre contar comigo. Perséfone também disse algo:
- Tem a minha gratidão, fruto de infidelidade - Disse, com certa gentileza. Teria Perséfone começado a me aceitar?
Ao voltar ao acampamento, cansado, fui dormir no Chalé de Hades. Que dia!

Ártemis - Parabéns 2.500 XP e 1.500 Dracmas


Última edição por Artemis em Qua Set 05, 2012 9:31 am, editado 2 vez(es) (Razão : Erros de português)
avatar
Paulo Moura Labarete
Filho(a) de Hades
Filho(a) de Hades

Mensagens : 96
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18
Localização : Onde você menos espera

Ficha do personagem
HP:
172/172  (172/172)
MP:
211/211  (211/211)
Level: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Paulo Moura Labarete em Qua Set 12, 2012 11:07 am


Recebi a missão de resgatar um filho de Ares perdido em Londres. Me haviam dito que ele estava em uma situação tensa, muito perto da loucura. Peguei um barco ( Tomara que Poseidon esteja de bom humor Mad ) e fui para lá. Depois de um tempo de viagem ( Admito que fiquei meio enjoado ) eu resolvi que deveria começar por lugares onde ninguém procuraria... Então mandei uma mensagem de Íris à Sam, pois ela conhecia Londres de Cabo a Rabo, ou mais que isso. Ela me indicou a cidade inteira, e eu passei quase uma semana procurando. Me hospedei em um hotel qualquer. Eu devo ter gastado uns 100 dracmas mandando mensagens para ela. Até que chegamos aos únicos lugares que faltavam. O O2 e o Parlamento, onde estava o Big Ben. Resolvi que começaria pelo O2. Vasculhei a arena inteira, mas não encontrei nada interessante, só alguns CDs à venda, e coisas do tipo. Segui para o parlamento. Quando andava por lá, o Big Ben tocou, e Caronte ouviu um grito.
" Como eu pude ser tão burro? "
Corri para o Big Ben. Só tinha de dar um jeito de entrar lá, por cima. Mas como eu faria isso? Então me veio a ideia: Usar a Torre de Sombras que eu havia treinado. Usei elas e subi até o relógio. Lá, encontrei uma pequena porta, e entrei. Vi o pequeno filho de Ares, que não devia ter mais de 5 anos preso e amordaçado. Achei aquilo absurdo, e ao lado dele vi Caronte, o verdadeiro Caronte, barqueiro do inferno. Ele disse que havia escapado da destruição dos servos revoltosos de Hades. Ele era sádico, só podia! Mas quando eu fui abrir a boca, ele invocou quase uma centena de criaturas verdes, pareciam feitas de geleia, e disse que se eu não derrotasse todas até a próxima badalada do relógio, o garoto morria.
- Então está me dando meia hora para derrotar 100 criaturas?
- Exato, não era tão poderoso?
Tirei a Samehada da caixa, pela primeira vez a usaria? Não... A coloquei de volta de saquei a kurikara. Ataquei a quase todas as criaturas, enquanto Caronte ( A loba ) atacava mais um bom bocado. Quando todas haviam caído, eu estava arfando. Caronte ( O Barqueiro ) disse que gostaria de lutar comigo. Então, eu disse para ele que iríamos nos enfrentar na mesma condição. Se ele era sádico, deveria eu ser também?
- Gosto de sua atitude selvagem - Riu
- Então venha!
- Eu posso ser mau, mas sou perfeitamente bom em matar pessoas - Disse ele
- Não me importa, eu gosto do cheiro de morte - Ri também
- Pode quebrar meus ossos com espadas e pedras, mas apenas estará me dando prazer - Sádico, ele respondeu
- Não tem medo da morte então? - Nesse momento, o Filho de ares gritou com a badalada do Big Ben. Ela era MUITO alta lá dentro Eu vi que não podia brincar. Saquei o Chicote de Balron e o ataquei. Ele simplesmente desviou, e eu bati de cara no relógio. Ele começou a concentrar energia na palma das mãos, e eu entendi o que ele queria fazer: Explodir o Big Ben. Eu não podia deixar aquilo acontecer. Usei a Bênção de Ártemis e criei várias sombras por lá. Eram 21 em ponto, não iriam haver outras. Usei todas elas para prender ele e a explosão. A energia já estava concentrada, e explodiu dentro da minha prisão de sombras. Ele gritou e se desfez. Eu peguei o filho de Ares nos braços. Ele era pequeno e magro, e estava muito machucado. Era culpa de Caronte.
- Caronte - Disse à minha loba - A partir de agora você se chamará Calisto - Ela latiu alegre. Gostou do nome.
- Quem é você...? - Perguntou o Filho de Ares - Vai me machucar também?
- Não... Pelo contrário... - Tinha de levá-lo ao acampamento. Mas felizmente eram feridas fáceis de cuidar, e eu fiz alguns curativos meio desajeitados. Acho que era suficiente para ele aguentar a viagem. Levei-o até uma fonte, e mandei uma mensagem de Íris, pedindo que me enviassem um filho de Apolo, para cuidar do filho de Ares. Descobrimos que seu nome era Kardia. Voltamos os três ao acampamento, eu feliz por resgatar, e o filho de Ares feliz por ser resgatado. O Filho de Apolo já era feliz por natureza.
"Mais um semideus resgatado" Pensei eu, antes de cair no sono


Afrodite: Excelente. Sem erros de português e muito bem escrito. 2000 XP e 1500 Dracmas.
avatar
Paulo Moura Labarete
Filho(a) de Hades
Filho(a) de Hades

Mensagens : 96
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18
Localização : Onde você menos espera

Ficha do personagem
HP:
172/172  (172/172)
MP:
211/211  (211/211)
Level: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Samantha Labarete em Dom Set 16, 2012 12:23 pm

Como já fazia um tempo que eu não saía para a Tropa de Resgate,tirei aquele fim de tarde para isso.
O sol já estava se pondo,campistas cansados e suados se dirigiam aos banheiros e alguns filhos de Poseidon conduzia os cavalos novamente aos estábulos.
Conforme a noite ia chegando,subi na colina e um vento fresco de verão despenteou-me os cabelos.
Suspirei.O Acampamento estava bem calmo.Mas eu deveria saber que isso não duraria.
Quando eu estava descendo a colina,um grito,um grito agudo e aterrorizado,cortou a noite calma.
-Droga.-Gritei.
Desci a colina correndo,aos tropeços e cheguei até a Arena de Treinamento com Espada,onde uma filha de Éolo gritava,encolhida contra um boneco de palha.
Eu fiquei um pouco confusa,mas então eu avistei a espada da garota torta em um lado e o escudo partido de outro.
Ela encarava a floresta com uma expressão lívida.
-Que foi?-Perguntei.
A garota,tremendo,apontou a escuridão das árvores.
A princípio,eu nada enxerguei,mas então,dois enormes olhos vermelhos faiscaram em minha direção e,aos poucos,a figura de um Demônio entrou em foco.
Ele era extremamente horrível.A pele negra coriácea destacava os olhos vermelhos,e os dentes eram quase tão pontudos quanto os chifres.
O demônio mostrou as garras e abriu um sorriso.Depois disse algo em grego antigo,que eu entendi como:
-Se prepare.
Com um urro de triunfo,o demônio saltou sobre a cria de Éolo e eu me pus na frente.
Usando um escudo,dei uma poderosa pancada no estômago da criatura e a joguei longe.
Com a Rebellion em punho,avancei para um ataque mas fui bloqueada e levei um corte no rosto.
O bicho tentou mais um ataque.Desta vez,eu decepei um de seus braços.
Com um uivo de dor,o demônio pulou sobre minhas costas,me derrubou no chão e apanhou a Rebellion.
Minhas costas ardiam.Ele havia cravado as garras nelas.
Ele se afastou e levantou a espada.Ia me matar.
Então eu vi um vulto branco e o demônio caiu ao chão.A filha de Éolo havia lhe acertado uma paulada na cabeça.
Sem perder tempo,saltei sobre ele e enfiei minha adaga de bronze em seu peito.
Com um urro de furar os tímpanos,o demônio virou pó.
A cria de Éolo havia ferido a perna,provavelmente antes de eu chegar.Ajudei-a a caminhar atá a enfermaria e voltei para meu Chalé.


Parabens , voce tem bom coração , 700 dracmas e 950 XP

_________________

Samantha Labarete
• Miss Better Than You •

Whazzup Convidado ? I'm Sam, Athena's kid


avatar
Samantha Labarete
Filho(a) de Atena
Filho(a) de Atena

Mensagens : 72
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18

Ficha do personagem
HP:
177/177  (177/177)
MP:
166/166  (166/166)
Level: 11

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Alessandra Seixas em Dom Set 16, 2012 3:10 pm

“ Sabe ser uma semideus é uma droga .Quem discorda dessa afirmativa ou é um simples mortal que assiste filmes igual ao do “Hércules” da Disney e acha que e moleza seu um semideus ou você e um semideus muito ingênuo que nunca enfrentou nada tão perigoso que poderia custar sua vida .
Ser um semideus significa ter uma curta vida ,sim e exatamente o que você leu uma curta vida ...então me diga quem seria o loco de gostar desse vida depois de enfrentar monstros , deuses ,semideuses rebeldes ou ate mesmo as terrível profecias do oraculo ?
Bom ...quem realmente viveu isso sabe do que eu estou falando ,mais mesmo que muito de nós não goste dessa vida ,não vamos nós deixar vencer tão facilmente se for para morrer que eu morra numa forma honrosa sabendo que eu dei o melhor de mim e que quando eu estiver nos domínios de hades as pessoas vão se lembrar de mim não como coitada mais sim como heroína .”

Um diário de uma semideusa fugitiva 134


-Alessandra ei Alessandra ! - fui acordada da concentração do livro por Sam uma das minhas meia-irmã .
-A desculpa Sam estava concentrada nesse livro que nem escutei você me chamar.
Sam sorri para mim e depois comendo as jujubas fala ;
-Eu percebi ! Que livro e esse ?
-Diário de uma semideusa fugitiva .-eu disse
Esse livro era muito famoso tanto no mundo dos mortais quando o mundo dos semideuses ,embora para os mortais o livro não passe nada mais do que uma boa ficção mais para aqueles que vivem em nosso mundo e uma oportunidade de saber como e realmente a vida de um semideus .
Ainda comendo suas Jujubas Sam falou ;
-humm esse livro e bom ....Ale tão te chamando para casa grande e não duvido muito que seja uma missão de resgate importante.
-Por que acha isso ? –perguntei curiosa .
-Bem ultimamente os sátiros estão andando muito quietos como se tivessem guardando um segredo,um segredo importante para eles .A Mimi ate tentou descobrir o que é espancando um sátiro mais ele não disse nada ....bom nada cociente pelo menos .
-Cociente ? porque ele falo algo inconsciente ? –perguntei mais curiosa ainda .
- Bom ...depois que Miranda acabou com ele ,alguns campistas do chalé da Apolo levaram ele inconsciente para a enfermaria e no caminho além de gritar por Comida ele falo algo como “resgate semideus “e “ filha de Atena boa comida”.
-Calma Sam ele falo que filha de Atena e boa comida?
Sam sorri para mim e diz
-Sim foi isso que ele falo ,mais acho que ele não estava referindo filha de Atena a boa comida .
Coitado do Sátiro Mimi deve ter batido muito nele para chegar e falar que filhas de Atena e boa comida.
-Hummm- eu disse - vou para casa grande ver o que é então .
Disse me levantando da minha cama e indo para porta do meu chalé no caminho pegando a jujubas de Sam que assim que passei pela porta falou
- devolve minhas jujubas sua Cruella!!!
..................................................
Cheguei na casa grande rindo do que Sam disse ,mias minha risada logo foi embora com o susto que levai pelo aparecimento repentino da minha outra maninha Natalia mais conhecida por Nat ,que presumi que estava usando o boné de invisibilidade.
- Maninha ! Very Happy –Disse abraçando Nat .
Ela retribuiu o Abraço sorrindo e me perguntou ;
-Foram você que mandaram chamar ?
-Sim....sabe do que se trata ? –perguntei
Nat olhou para mim e disse
-Não,mais seja o que for e importante pois a mamãe esta pessoalmente aqui .
Olhei para Nat supressa nossa mãe esta aqui só pode significar duas coisas a 1- mamãe veio aqui me punir pessoalmente ou uma coisa muito importante para a fazer decidir pessoalmente aqui .
-A mamãe ? ela quase não se envolve em assuntos dos semideuses e ainda por cima diretamente . –eu disse .
Nat olhou para mim na mesma forma que eu ,uma mistura de supressa e curiosidade de vez em quando acho Nat muito parecida comigo quase como irmãs de sangue .
-E eu sei , é melhor você ir ...deuses não gostam de ficar esperando e Boa sorte Mana ! sinto que vai precisar .
Depois disso Nat foi embora ao mesmo jeito que apareceu, sumindo no meio do nado . Entrei na casa grande sem bater já sabendo que estariam me esperando.A sala de casa grande era a cima de tudo confortável ,os moveis eram na cor da madeira com enfeites na cor dourada na parede da entrada tinha fotos de semideus antigos como Perseu ,Hercules, Aquiles mais também recentes como Natália ,Bruno,Lucc,Sabrina,Miranda,Samantha,Paulo,Diego,Julia,Gabriel,Guilherme ,Pollux ,Zazuka ,Derek .
Minha mãe estava sentada no sofá maior .Se vc imagina Atena como uma mãe comum sabe que usa moletom faz um coque em cima da cabeça ou usando roupas do século passado estão engados ,Atena não se em caixa muito bem no papel de “mãe “ . Aproximei de minha mãe e me ajoelhei fazendo uma referencia .
-levanta-se minha filha !
Me levantei assim como minha mãe me pediu, não deixando de mostra em meu olhar de curiosidade e a surpresa por estar falando com minha mãe pessoalmente .Atena percebendo isso falou ,
-Você deve estar se perguntando o motivo de eu estar aqui pessoalmente falando com você ,e ainda por cima “interferindo em sua vida diretamente “ Certo ?
Concordei com e cabeça e Atena continuou ;
-Vim aqui propor uma missão de resgate extremamente importante que exige que tenha 100% de sucesso ou seja não pode ter erros . Então foi decidido entre o conselho dos Sátiros e o Deus protetor da tropa de resgate que você terá que fazer esse resgate por ser o membro mais antigo da tropa .
-Quem eu terei que resgatar mãe ? –perguntei
-O nome dele e Antônio Angens mora atualmente em são Francisco ,foi encontrado a 3 dias por um sátiro guardião ,o Sátiro foi atraído pelo o Garoto por ter um cheiro um tanto particular que atraída muitos monstros ....infelizmente hum desses monstro atacou o garoto e o sátiro teve que reagir acabou que o Guardião faz sua função e acabou morrendo por isso ,tendo tempo apenas para rezar ao deus da tropa pedindo que manda-se um integrante da tropa ao resgate ao semideus pois ele era “o milagre de pã “ .
-Milagre de Pã ? ele tem a benção de Pã ou é ....
-Sim o menino e filho do Deus Pã ,parece que pã deixou um ultimo presente para a humanidade antes de partir ,o primeiro e o ultimo filho da Natureza .
-Irei a procura de Antônio ainda hoje, se ele já foi atacado uma vez não demora muito ate que seja atacado novamente principalmente a onde ele mora .....Obrigada Mãe eu não irei falhar .
Atena deu um sorriso escondido quase como tivesse orgulhosa de mim e falou
-Assim espero minha filha ...que os deuses te guiem nessa missão .
Atena sumiu deixando para trás uma novem cinzenta misturada com dourada deixando a sala da casa grande com um aura de poder . Sai de lá correndo para meu chalé recolhendo todos meu pertences que eu iria precisar (roupa, ambrosia ,néctar,armas ,dinheiro mortal ,dregmas)arrumei tudo dentro de uma bolsa com um feitiço expansivo .
Sai do chalé e fui em direção a entrada do acampamento onde encontrei Paulo fazendo uma das sua patrulhas da fronteira ,Paulo ao me ver indo em direção a saída logo deduziu que estava saindo para uma missão, de bom grato ele me ofereceu uma carona aceitei ,ele fazendo seus truques de filho de Hades convocou dois cães infernais e montou e um fiz o mesmo no outro informei a ele onde iriamos e com isso os dois cães infernais correram em direção as sombras deixando minha visão totalmente preta .
Quando voltei a enxergar estávamos em São Francisco mais especificamente no centro de São Francisco desci no cão infernal com uma vontade imensa de vomitar e tive que me controlar para não fazer isso ,Paulo percebendo isso Rio de mim e falou
-Ta enjoada Ale ?
Olhei para ele com meus olhos recém adquiridos com o poder de Hacade fazendo ele ver o pior medo dele ,Paulo extremasse e falo
-Calado Paulo ...não sou filha de Hades, não gosto de viajar pela sombras pois isso me deixa enjoada .Agora eu preciso ir ....sou extremamente Grata por me trazer aqui .
Paulo deu um sorriso e disse
-De nada Ale....e hum tenta não morrer ok ? te vejo no Acampamento .
Com isso Paulo viajou novamente pelas sombras voltando para o acampamento ,eu pegando minha bolsa fui em direção a uma Cafetaria onde tinha internet liberada ..Procurei na rede o nome Antônio Angns encontrei uma mulher chamada Camila Angns de 35 anos que morava na AV.Santo Mato 234 ,anotei o endereço no papel e sai da internet antes que aparecesse algum monstro atraído pela rede . Sai da cafetaria e fui em direção ao ponto de Taxi no caminho encontrei um ciclope que não me deu muito trabalho para o matar.
Peguei um Taxi que me levou direto o meu endereço desejado o paguei e sai do taxi e olhei pra a rua a procura da casa 234 e encontrei .A casa poderia ser facilmente confundida com uma floreta pois tinha arvores ,flores ,mato, muito bem cuidado na cor tão verde vivo que era difícil não notar , tinha todo tipo de pássaros pousados nas arvores cantando ,no chão avia coelhos ,cachorros ,gatos todos em perfeita amônia ,não precisei ver mais para saber que estava na casa Certa ....era aqui que vivia o filho de pã .
Fui ate a porta de entrada escutando vozes baixas discutindo alguma coisa ,quando bati na porta dentro da casa ficou silenciosa esperei e bati novamente e depois de 3 minutos e nada ,decidi então entra pelo fundos . Ao chegar aos fundos da casa encontrei a porta da varanda escancarada com os vidros da porta quebrados,Um calafrio percorreu meu corpo quase alertando que dentro daquela casa não iria encontra coisas boa. Deixando minha bolsa encostado na porta peguei meu par de luvas (poder fogo ) meu escudo (presente Zeus )minha KeyBlade Kingdom Key e meu par de tênis voador (presente de Hermes) e entrei dentro da casa .
A casa estava escura sem nenhuma luz acessa ,isso fez com que eu ficasse mais atenta a qualquer movimentação ou som existente da casa ,indo com muita cautela comecei a andar pela casa ,quando cheguei a cozinha tomei um susto ao ver um caldeirão imenso acesso em um fogo a lenha e espera muito que a “comida “ ainda não tivesse sido preparada .Andei excitante para o caldeirão para checar que não tinha um ser humano ou quase humano lá ,olhando para dentro caldeirão percebi que não tinha humano ou resto de humanos dentro respirei mais aliviada sabendo que tinha uma chance de que o semideus e sua mãe ainda estariam vivos .
Me afastando do caldeirão olhei para a cozinha a procura de alguma pista de onde o Semideus e a mãe e a coisa poderia estar ,encontrei uma porta que presumi que era a dispensa da casa ,excitantemente fui ate a porta me lembrando dos filmes de terror que sempre quando o personagem abria a porta não encontrava nada mais assim que se virava um assassino estava pronto para mata-la . Abri a porta e escutei um grito estridente olhando para ver quem foi a origem do grito encontrei uma mulher por volta dos 35 anos com cabelos caramelos e olho azul que embora presa por uma cordas em seus tornozelos e mãos tentava de todo custo proteger um menino por volta dos 12 anos com cabelos caramelos igual a os da mãe com e olhos extremamente verdes. O menino estava tão prezo quanto a mãe o que impedia de se movimentar os dois tinham uma mordaça na boca o que impedia de fazer barulhos mais altos do que um leve grito de terror .
Me aproximei deles ,assim que fiz isso e mãe do menino deu um chorinho e tentou se afastar de mim junto com seu filho ,me ajoelhei na frente deles tenteando manter eles calmos eu disse ;
-Calma eu não vou machucar vocês .....São Alessandra Seixas ,vim de Nova York para ajudar vocês...vim de um acampamento onde vimos e lutamos com coisas que para muita gente não existe .
A mãe do garoto pareceu me intender quando disse que vim de Nova York de um acampamento pois parou de chorar na hora e se acalmou aproveitando disso usei minha KeyBlade Kingdom Key para tentar cortar as corda que a prendia , quando consegui libertar as cordas se seu tornozelo comecei a passar pela corda em seu pulso .Essa estava bem mais complicado de tirar quando estava soltando o ultimo nó da corda a mulher começa a ficar histérica estava quase mandando ela ficar parada quando vi uma sombra vindo em minha direção ,não dando tempo de fazer nada a não ser pular para o lado batendo nas prateleiras de comida que caio em cima de mim e do mostro (quando estava coberta de comida percebi que a família era vegetariana )usando o sapato com asas voei para fora da montanha de comida enquanto a coisa (que ainda não tinha identificado) tentava sair do monte de comida, pegando a minha KeyBlade Kingdom Key me preparei para o ataque .
Quando o monstro se levantou da montanha de comida consegui observar ele melhor, ele tinha uma aparência maligna e calculista a cor de pele era para meio alaranjado seus cabelos e do tom de cinza tendo 3 olhos no rosto e os dentes brancos e afiados .Me lembrei de uma lenda que me contaram no acampamento de Fintan um metamorfo que era um irlandês que sobreviveu ao dilúvio comendo carne humana na maioria das vocês comiam semideuses para aumentar seu poder ...e por causa disso como punição os deuses o transformaram em um mostro.Tinha boatos que esse monstro nunca vinha para terras dos deuses ..mais parece que estavam enganados .
O monstro olhou com seus 3 olhos para mim ,era bem provável que estava me analisava e vendo se eu seria uma boa sobremesa já que pelo que eu vi o jantar seria o semideus e a mãe dele, não esperei ele se decidir e logo o ataquei usando minha KeyBlade Kingdom ,prevendo meu ataque ele se protegeu usando seus longos braços ,desferi varia os ataques regulamente mudando de direção consegui ferir levemente seu braço .Quando estava preparando mais uma doze de ataques novos para o metamorfo ,o mesmo reagiu me pagando pelo pescoço e usando a outra mão pegou minha mão onde segurava a espada e apertou ate que eu solte-se minha arma ,sem ar para respirar por causa que ele estava me sufocando minha visão começa a ficar com manchas pretas ,não tendo força para me soltar do seu aperto forte me preparei para a morte .Quando fechei os olhos comecei a ter fleches da minha vida ,minha infância ,meus amigos ,meus irmão e irmãs , minha mãe dizendo que não poderia falhar nessa missão ,tudo veio a minha mente e minha promessa que não ia falhar também .
Pensando em esses fleches eu abri os olhos e com o ar e a força que me restava procurei uma saída, a casa estava escura o que dificultava ainda mais procurei em todos os cantos mais nada ,então eu vi minha luvas magicas que tinha o poder de fogo me concentrei em levantar meus braços já fracos para o rosto do metamorfo quando consegui me concentrei em criar uma bola de fogo que acerto me cheio o rosto ,ele me largou com um grito de dor fazendo com que eu caia no chão ,para minha sorte em cima de minha arma . O metaformo agora muito nervoso veio me minha direção para acabar com a minha vida esperei que ele se aproxima-se de mim o suficiente ,com habilidade me puis de pé usando os meus tênis voador levantei voo levantando minha KeyBlade Kingdom acertando o metamorfo bem no estomago ,o mesmo caio no chão muito ferido ,voltei para o chão andei lentamente ate o metamorfo e falei antes de decapita-lo;
-Sabe quando você voltar para terra sugiro que fica fora das terras dos deuses e bom que tal se tornar vegetariano em ?
Depois disso o decapitei e ele se transformou em pó dourado que cheirava mais carne podre ,fui em direção a dispensa da casa novamente massageando meu pulso que estava enxado e muito dolorido observando melhor percebi que estava quebrado estava com um ardência ao lado do rosto que ia ate minha boca era um corte feito pelo metamorfo quando ele me pegou .Ao entra na dispensa encontrei a mãe do menino totalmente solta e soltando seu filho quando terminamos de soltar ,a mãe me contou como eles foram pegos pelo monstro e sobre a tentativa do sátiro levar seu filho para o acampamento ,expliquei para os dois como e o acampamento e para própria segurança deles pedi que Antônio (semideus ) viesse comigo, Antônio aceitou sem protestar saio e pegou suas coisas no quarto e voltou para nós partimos .
Quando ele estava pegando suas coisas a mãe dele me conto como ele conheceu pã e sobre a sua gravides e o nascimento do seu filho e depois me perguntou ;
-Como você vai levar meu filho para o acampamento ?
Eu já tinha pensado nisso ,sair agora por São Francisco com dois semideuses um com um cheiro incomum e outra um tento quanto apetitoso não daria certo ,seriamos atacados muitas vezes e com o pulso quebrado não poderia proteger nós dois por muito tempo .Então pensei em como vim aqui e me deu um a ideia .
-Sra Angns será que você não teria uma mangueira por aqui ?
Sra.Angns me olhou como se eu fosse louca mais respondeu
-haaa temos sim Antônio gosta de molhar as plantas fica no jardim ....A Filho leve a Alessandra para o jardim ele quer usar a mangueira .
Antônio que vinha de seu quarto com suas coisas para partimos concordou com a mãe e me levou ate a a mangueira ,ligando a Mangueira pedi para que Antônio a levanta-se para formar um arco ires assim que fez peguei um dracmas e falei
-O deusa do Arco íris aceite minha oferenda Acampamento meio sague Paulo Filho de Hades .
Depois disso ataquei o dracma que desapareceu no ar e na água apareceu a imagem de meu bom amigo Paulo ,falei com ele sobre a minha situação e concordou em me ajudar maias uma vez ,quando terminei a “ligação “ Antônio me mostro seus poderes e o que era capaz de fazer fiquei impressionada ,depois disso Paulo apareceu com 3 cão infernal onde pelas sombras nós levou para o acampamento ,chagando lá levei Antônio para casa grande onde seria passado as regras para campistas novatos .
E esse foi o fim de meu resgate ao o primeiro e único filho de pã.





Apolo: 3000 XP, 3000 Dracmas. Muito bom, e mais criativo ainda.

_________________


Razz Alessandra Seixas Filha de Atena E chefe da tropa de resgate Surprised
avatar
Alessandra Seixas
Filho(a) de Atena
Filho(a) de Atena

Mensagens : 122
Data de inscrição : 13/10/2011
Idade : 21
Localização : minha casa

Ficha do personagem
HP:
170/170  (170/170)
MP:
160/160  (160/160)
Level: 10

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Paulo Moura Labarete em Seg Set 17, 2012 11:40 am


Um dia eu estava dormindo, era Domingo, e eu não pretendia acordar até pelo menos 13:00.
Mas eu acordei, e com o Derek me chutando:
- ACORDA, PEDAÇO DE BOSTA!
- É o que? Hoje é domingo, sai!
- Tanto faz, tem alguém querendo te ver na Casa Grande
- Que bom, agora me deixa em paz
Mas ele não estava nem um pouquinho à fim de me deixar em paz. Ele praticamente ME ARRASTOU até a casa Grande, onde havia alguém querendo me ver. Logo nesse instante, eu comecei a sentir os olhos lacrimejando, como se o sal do mar estivesse presente no lugar. Não podia...
- Bom dia Paulo. - Ele abriu a porta, e vi que ele estava usando uma bermuda floral e uma camisa de botões, com os dois primeiros abertos. Usava também chinelos Havaianas. - Estava o esperando aqui. Mas eu esperava que você estivesse usando algo mais... Hm... Apropriado.
Fiquei desconcertado. Ele era Poseidon, e eu estava presente perante ele usando shorts e uma blusa larga branca, lisa, todo despenteado e com os olhos cheios de remelar. Tente me desculpar:
- Desculpe senhor, eu simplesmente... Não sabia que era vossa senhoria que viria me ver, caso contrário teria colocado uma roupa mais... Decente.
- Não há problema. Vamos direto ao ponto. Quero que resgate um filho meu.
- Mas senhor Poseidon, não teria mais confiança em um filho seu? - Acho que foi a pergunta mais besta que eu já fiz. Já é difícil ter um deus menor no acampamento, quem dirá um dos Três Grandes. Com certeza era algo muito importante, e que requeria exatamente a minha presença.
- Isso entrará em pauta daqui a pouco... - Nesse momento, uma aura roxa apareceu, e eu comecei a me sentir bem.
Epa.
Bem?
Isso só podia querer dizer uma coisa: papai estava ali. Dois dos três Grandes em um acampamento? Isso não iria dar certo...
- Olá filho. Por que infernos está tão mal vestido? - Comecei a me explicar. Poseidon me interrompeu.
- Irmão Hades, ele somente não teve tempo. Isso não tem importância... Vamos à um lugar um pouco mais... Reservado. As paredes têm ouvidos. Filhos de Hermes também. - Lá fora, ouvi alguns garotos resmungando indignados.
Entramos em uma salinha menor, e lá haviam fotos de vários semideuses. Poseidon começou a falar.
- Paulo, o problema com meu filho é que ele está morto. Mas por algum motivo ele não foi ao mundo inferior.
- Isso é possível? Por que não pede ao meu pai?
Hades riu e respondeu:
- Acha que eu passo o dia inteiro jogando damas com meus Juízes? Tenho mais o que fazer, filho.
- E por isso o contatamos. Queremos que use seu colar de almas para falar com ele.
- Eu não posso contatar alguém que não sei o nome e nem a face. Fiz isso uma vez, o espírito ficou pouco tempo demais.
- Filho, esse colar pode fazer o que você quiser... Contanto que tenha o tributo certo. - Nesse momento, Hades pegou um pequeno canivete e fez um corte em seu dedo. O Ícor dourado que corre em seu corpo começou a escorrer.
- Me empreste o colar.
O Obedeci. Ele tocou no colar com o dedo que cortara. Nesse momento, nós fomos trasportados. Sombras começaram a transformar a sala.
- Filho, recomendo que use isso... - E Hades me entregou um tipo de óculos.
- Aqui nós teremos de revelar parte de nossa forma divina... Isso irá te proteger delas por um tempo.
- Onde estamos? - Perguntamos eu e Poseidon juntos.
- O Colar de almas cria uma dimensão paralela para que falar com mortos seja possível. Quando o Ícor toca-o, ele abre essa dimensão e engole quem estiver perto. Isso é paralelo ao Submundo, um tipo de salão onde as almas que recebem tal permissão se encontram. Talvez encontremos seu filho, ou informações sobre ele aqui.
Nesse momento, vi o Kurt Cobain cantando.
- O que Kurt faz aqui? - Perguntei
- Ele é um filho de Apolo. Ele, Mercury, Winehouse... Ou você realmente acha que eles morreram de doenças ou suicídio? - Explicou Poseidon. Agora tudo fazia sentido!
- Qual o nome de seu filho?
- Marillion. Ele estava em um navio... Mas o navio bateu em um rochedo e, bem... Sumiu. Eu já ia reclamá-lo...
Nesse momento achamos um braço, uma perna, meio corpo e uma cabeça... Como? Poseidon parece ter reconhecido ela.
- Marillion. Por que não está aqui por inteiro? O dei permissão para vir para cá.
- Phantasos... - E foi tudo que ele disse antes de sumir. Nesse momento, começamos a voltar para a sala.
- Filho, Phantasos é alguém... Não, algo, muito poderoso. Acho que precisará disso para enfrentá-lo. - E me entregou um frasquinho com Ícor. Ele disse que eu saberia o que fazer. Mas eu não tinha chance, Phantasos de Fantasia é um deus! Deus de baixa classe, servo de Hypnos, que já é um deus menor, mas ainda assim um deus. Fazer o quê, tinha de seguir em frente.
- Sim. Onde estará Marillion?
- Provavelmente no mundo dos sonhos. Precisamos de Hypnos para te levar até lá. Venha comigo.
- Boa sorte, sobrinho. Traga de volta meu filho.
Nesse momento, eu e Hades fomos ao mundo inferior. Hypnos estava nos aguardando, e quando cheguei, veio falar comigo.
- Sangue do sangue de meu lorde. Devo lhe avisar que estará fazendo algo perigoso. Terá uma hora para trazer Marillion, depois disso não poderei o tirar do mundo dos Sonhos.
Ele jogou uma espécie de pó brilhante em mim. Eu caí no sono, e fui teleportado para uma espécie de gaiola... Com o problema de que não havia chão. Nesse momento, encontrei Phantasos. Era uma mulher, eu achei que fosse um homem. E era, de fato, muito bonita. Talvez só não fosse mais bonita do que Afrodite. Talvez. Ela estava segurando uma alma, que era a outra metade de Marillion. Por isso ele não ia ao mundo dos mortos.
- Ora... que garotinho lindo temos aqui... - Flertou
- Phantasos... Solte Marillion... - Pedi
- Venha pegar hihihi - Ela transformou Marillion em uma bolinha e o pôs no bolso. Comecei a ficar bravo
- Pare de brincar e me entregue logo a merda da alma dele! -
- Ui, ele está estressado... Hihihihi - Ela estava começando a me deixar fora de mim. - Venha buscar... Já tem um tempo que eu não brinco...
Fiz um movimento instintivo de sacar os tridentes. Aí me liguei de que eles NÃO estavam lá. Nesse momento, algo cortou a dimensão, e caiu em minha frente. A boa e velha Blade. Ela sempre voltaria para mim. Ataque Phantasos. Ela simplesmente desviou e me jogou um pó negro, que explodiu e me jogou longe.
- Não é que você é boa? - Saqui a Blade e comecei a cortar dimensões. Até que cortei ela, propriamente dita. Ela se partiu ao meio e continuou viva.
- Eu sou invencível aqui... Nem mesmo um dos três grandes me derrotaria - Eu tinha ali naquela espada, Zeus. Então raciocinei o que Phantasos disse. UM dos três grandes... Quem sabe dois? Eu quebrei uma conta do colar de Almas e Hades apareceu. Se colocou em minha espada e eu desferi um golpe com ela. Cortei Phantasos novamente.
- Até Zeus já esteve preso aqui... Hihihi... Não conseguirá me derrotar só com isso... - Então fiquei bravo. Peguei o Ícor de Poseidon e despejei na espada. Se os Três não conseguissem, ninguém conseguiria. Desferi um golpe com a espada. Phantasos gritou.
- Maldito! - E se desfez em cinzas. A alma de Marillion se soltou. A peguei e Hypnos me trouxe de volta.
- Correu perigo, pequeno lorde. Ficou por exatamente 1 hora lá. Mais dois segundos e ficaria confinado.
- Filho, temos de devolver essa alma.
Achamos o corpo de Marillion com a ajuda de Poseidon. Hades de emprestou o Elmo das Trevas para que eu voltar ao acampamento. Voltei junto com Marillion. Quando cheguei, usei a Fissura para jogar o Elmo das Trevas no submundo. Papai iria encontrá-lo. Deixei Marillion no acampamento e fui ao chalé de Hades dormir, coisa que Derek que impediu de fazer.
 







Fala atrás de falas aoksoak, achei legal * )


3500 XP
1000 DRACMAS


~ Tânatos ~

_________________
Paulo Moura Labarete, também conhecido por Chuchu, Senhor Bafo-De-Cadáver e Lorde Cheiro de Morto. Cavaleiro de Áries, Devoto de Hera, Filho de Hades

avatar
Paulo Moura Labarete
Filho(a) de Hades
Filho(a) de Hades

Mensagens : 96
Data de inscrição : 05/08/2012
Idade : 18
Localização : Onde você menos espera

Ficha do personagem
HP:
172/172  (172/172)
MP:
211/211  (211/211)
Level: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Leonard em Qui Jun 06, 2013 7:38 pm

Era um dia comum no acampamento meio-sangue, tirando o som de espadas, flechas, lanças, e os campistas de Ares brigando com os filhos de Apolo, estava tudo realmente normal.

Eu não fazia nada mais além, de ler um livro com as principais informações do Death Note, porém, minha tranquilidade não durará por muito tempo. Uma das crias de Hermes virá me chamar, trazendo a mensagem de que Quiron queria me ver na Casa grande. Imediatamente.

Assenti e segui para o local.

Quiron estava na varanda. Usava uma camisa laranja dizendo Salve os centauros, com uma aljava presa as suas costas. Sua barba estava muito bem aparada, e o seu bumbum gigante cintilava contra o sol.

Avancei um pouco mais e perguntei:

- Queria falar comigo, Quiron ? - Ele olhará para mim com um ar de desabafo.

- Finkes, é muito bom vê-lo novamente - ele continuará - bem, entre, temos um assunto a tratar.

Subi os pequenos degraus da Casa grande, e adentrei por uma porta de madeira. O local por dentro era robusto, com dois sofás de couro marrom, e uma mesinha de vidro ao meio. Sentei-me, enquanto Quiron ficara de pé.

- Então, oque deseja ? - perguntei.

- Você acabará de participar da Tropa de resgate não é mesmo ?

- Sim - respondi.

- Pois bem, um garotinho, de aproximadamente 11 ... 12 anos está perambulando pelas ruas de Manhattan sozinho - ele continuou - E ... presumimos que ele seja filho de Tânatos !

Sua última palavra me fez meus pelos eriçarem. Eu nem acreditará que teria um meio irmão. Eu ficará feliz, porém, apreensivo, pois um meio irmão meu de apenas 12 anos estava andando pelas enorme Manhattan ... Sozinho !

- Tá bem, e o que estamos esperando ? - falei.

- Não é tão simples assim, meu jovem semideus - ele continuou, após recuperar o fôlego - Você conhece aquele animal de Chifres, e pelos enormes que podem até mesmo servir de cobertos ?

- O minotauro ?! - completei.

- Sim. Acreditamos que ele esteja perseguindo seu meio irmão, e nada melhor do que um filho de Tânatos, ir na busca de outro filho de Tânatos ! -
Finalizou Quiron.

Assenti levemente com a cabeça. Ele retirara de uma uma gaveta uma folha de papel comum. Nela algumas anotações estavam circuladas com caneta esferográfica.

- Tome, essa é a a rua, e bairro onde o garoto deve estar ... - Não haveria nenhum problema eu encontrar o garoto, principalmente por eu ter morado em Manhattan por grande parte da minha vida - Argus levará você daqui meia-hora. Espero que esteja pronto !

Assenti, me levantando, apertando a mão de Quiron, e exclamando:

- Não vou decepcioná-lo !


( ... )


Estava ligeiramente pronto. Meu casaco de aviador estava levemente fechado, e a maior parte de meus armamentos estavam dentre os bolsos, Exceto minha foice, que estava transformada em pulseira, no meu pulso direito.

Me aprontei, e seguida para o topo da colina, na qual Argus me esperava.


( ... )

O homem, ou sei lá oque fosse, me esperava em um GTO anos 70. Estava sentando no banco do motorista, com o motor já roncando. Adentrei no veículo, e sem exitação, ele pisou fundo. Em menos de meia-hora estávamos na cidade. O transito dentre as largas ruas demorara mais do que toda a viajem. Porém, chegamos no nosso destino.

O homem de um zilhão de olhos me dará uma foto. Ele não falará nada, básico de sua personalidade. Logo de cara percebi, era meu meio irmão.

Tinha cabelos castanhos e bagunçado, como os meus. Seus olhos eram de um negro profundo, e haviam várias sardinhas em sua bochecha. Usava uma camisa, com um bordado escrito Os Roqueiros mandam, junto de uma calça jeans e um All-Star desgastado.

Agradeci Argus, e sai do veiculo.

( ... )

Avancei por mais alguns metros, e de pessoa em pessoa, fui perguntando pelos sem teto se conheciam tal garoto. Até que, para minha sorte, um homem velho e barbudo conhecia o menino. Dissera que o menino havia ido em um mercadinho próximo.

Agradeci o mesmo, e segui para o tal mercado. Contudo, encontrará. Um enorme placa velha e enferrujada dizia Mercado Manhattan, porém minha dislexia fez as letras se misturarem, até formar a palavra Mercado de Monstros.

Sai correndo, sem olhar para os lados. O Único som que eu ouvirá eram carros buzinando, e rodas queimando no asfalto.

( ... )

Muitas pessoas estavam dentro do local, muitos me olharam com agito, e se afastaram devagar, talvez fosse minha Aura ser filho de Tânatos.

Atravessei vários corredores, até que achei um menino, semelhante ao da foto. Estava no corredor de porcarias ( chocolates ). Me aproximei e perguntei :

- Está com fome ? - Ele fez que sim. - Eu até compro um lanche pra você, mas não aqui, pode ser ? - El novamente, assentiu. Peguei a mão do garotinho e sai do mercado, porém uma voz grossa e roca soará em meu ouvido direito.

- Para onde vai, cria de Tânatos ? - Virei-me. O homem usava um chapéu de caubói preto, e uma túnica preta. A claridade não iluminava seu rosto devido a aba do chapéu - Estava a sua espera !

- Desculpe, mas não sei do que você está falando - falei.

- É claro que sabe ... Finkes ! - Por ele saber meu nome, já me fizera ter calafrios.

Peguei o braço do menino, e sai correndo para fora do mercado. Porém, o homem nos seguira.

- Não adiante correr, inseto - O homem terminara de falar, de repente, sua roupa começara a rasgar. Primeiro pelas costas, depois os braços, e assim por diante, até que, ficasse por completo. Ele era como Quiron falará, grande e peludo com chifres mais pesado que meu corpo, e um anel no nariz maior que minha cabeça. Um minotauro estava logo a minha frente.

- Tudo bem, vamos fazer o seguinte, fique atrás de mim e em Hipótese alguma se distancie de mim ! - O olhar de Horror do garotinho me dava mais angustia diante da batalha que eu iria ter. O mesmo estava agarrado na minha perna.

Movimentei minha pulseira, e minha foice se formará, 2 metros cabo negro, e 1 metro de Lâmina ceifadora. Investi contra o monstro, tentando cortar primeiramente suas pernas. Sem exito. Eu apenas aparara alguns pelos de suas partes baixas.

- Mas que droga, você nunca pensou em se depilar ? - Tentei ser humilde, porém, o minotauro não estava nem ai, o qual já foi atacando primeiramente o garotinho. Abri minhas Asas e agarrei o garotinho. Sobrevoei o minotauro, tentando deixar o mesmo desnorteado, que novamente, não tive exito. Voei para longe do monstro, largando o garoto no outro lado da calçada. - Tome, pegue essa espada, se caso algum animal, tipo aquele lá, é só você enfiar essa Lâmina nele, pode ser ?

O garotinho assentiu, mesmo não tendo entendido nada. Por ser muito jovem, ele estava reagindo muito bem em relação a situação.

( ... )

Voei novamente contra o minotauro, dando sequencias de golpes com minha foice. Em alguns momentos, os socos do Minotauro me atingiam, porém, nada que me deixasse fora da luta.

Fiquei por cima dele, e voltei minhas mãos contra algumas sobras que os prédios de Manhattan faziam. Fiz com que uma zilhão de mãos feitas de sobras começassem a segurar a criatura. Em seguida, gritei para minha confiável mascote , Nilkaaaaa !

Logo, uma Quere aparece ao meu lado, com um simples Puf !

- Ei, chefinho, oque precisa ? - ela me perguntará.

- Ta vendo aquele monstro ? Quero que enfie suas garras nele !

Ela assentiu, voando sobre o minotauro, lançando combos com suas garras um atrás dos outros. Eu sabia que para um minotauro, o pode de Nilka não seria o suficiente, mas pelo menos, iria adiantar para alguma coisa. Logo que ela finalizará, se foi embora com um simples Puf. Abaixei minhas mãos, e deixei o minotauro livre. Ele estava com um aspecto de cansado. Então, me aproximei, ficando cara-a-cara com ele.

- Está pronto pra desistir ? - exclamei, porém, sofrerá as consequências. O minotauro não estava cansado por completo. Pois de uma hora pra outra estava bem, pegando pelo corpo todo, e me lançando contra a parede de um prédio. O impacto fez com que meu corpo quebrasse a parede de tijolos de barro. - Percebi que não !

Me recompus, com dores alarmantes nas costas. Minhas asas estavam doloridas, logo percebi que depois da ancada, elas não iriam ser muito úteis. Fechei as mesmas, e avancei contra a criatura.

Concentrei meu olhar nas sombras, e fiz com que dois Cães infernais saíssem do local. O corpo era enorme, não tanto quanto o do minotauro, mas davam pro gasto. Enquanto os dois mordiam as pernas do minotauro, investi contra ele, atacando principalmente os braços. As mandíbulas dos cães infernais se mexiam ligeiramente, fazendo a criatura prestar mais atenção neles, do que em mim.

Alguns cortes fora efetuados na criatura, porém, não era o bastante. Ele balançou ligeiramente suas perna,s fazendo com que os cães infernais o soltasse. Em seguida, chutou ambos, fazendo os mesmos se transformar em cinzas.

Agora, eu estava literalmente sozinho na batalha.

Fitei minhas lentes, e fiz com que as mesmas se transformassem em uma armadura de ferro estigio. Em seguida, ataquei o minotauro novamente, porém, ele me arrebatava a cada golpe. Ele estava, agora, ligeiramente rápido.

Porém, um golpe meu dará certo. Lancei minha foice, mas não com a intenção de acertá-lo, e sim cortá-lo pelas costas. Joguei a foice como um bumerangue, a qual funcionou perfeitamente. O ataque fez com que a foice crava-se nas costas do minotauro se alarmasse em dor.

Porém, ele não se transformava em cinzas, como as outras criaturas. Estava resistindo muito bem.

( ... )

Peguei meu arco, e comecei a lançar algumas flechas envenenadas no minotauro. A cada acerto, ele soltava um som agonizador, como se as unhas de uma mulher, rosassem em um quadro negro.

Ele, agora, ficara irritado de verdade. Se libertou por completo,juntando um veiculo, como se fosse um Hot Weels, e lançou em mim, porém, eu desviará, mas fora na direção do garotinho. Arregalei meus olhos, posi agora, não estava com minha asas abertas.

Na minha mente, fiquei imaginando : Vamos lá, tem de ser agora, tem de ser agora, pai, por favor me ajude !

Minhas preces foram atendidas. Eu, em um piscar e olhos, me teletransportara logo a frente do menino, o qual em seguida, abri minhas asas, e as pus em minha frente. O impacto fez com que o teto do carro amaçasse por completo, jogando cacos de vidro para tudo qualquer lado.

Baixei minhas asas, exausto, e me virei para o menino.

- Você esta bem ? - ele assentiu.

As minhas ultimas energias estavam guardadas para aquele golpe. Virei-me contra o minotauro, e ambos saímos correndo na direção um do outro. Ambos gritando.

Estávamos a uns 6 metros um do outro, e ligeiramente, ergui minhas mãos, e novamente, fiz com que um zilhão de mãos feitas de sombras saíssem dali. Todas seguraram as patas do Minotauro, o qual cambaleou, cai para frente. O estrondo fez com que os carros da avenida dessem um sobre salto.

Agora, corri mais rápido que podia. Pulei sobre o monstros, juntei minha foice, e ergui a mesma.

- Espero que tenha boas lembranças ! - O animal rosnará, porém foi paralisado após eu ter enfiado minha foice em seu crânio, ou oque estivesse dentro de sua cabeça.

Rapidamente ele se transformara em cinzas. Olhei para o garotinho, que agora parecia inquieto. Me aproximei a ele, e perguntei:

- Acho que não fomos deviadamente apresentados, meu nome é Finkes, qual é o seu ?

- Michael - Respondeu ele, que agora se agarrava na minha perna - V-Voc~e matou aquele monstro ?

- Sim, mas de agora em diante ... - Me agachei ao patamar dele - Você nunca mais ver ele, pois vou te levar para um lugar bem legal, chamado Acampamento Meio-sangue !



4500 xp
1000 dracmas

Teve alguns errinhos não ortográficos, mas que você esqueceu de algumas letras nas palavras, fora isso, ta ótimo.
avatar
Leonard
Filhos de Tântanos
Filhos de Tântanos

Mensagens : 69
Data de inscrição : 08/05/2013
Idade : 26

Ficha do personagem
HP:
181/181  (181/181)
MP:
197/197  (197/197)
Level: 15

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Leonard em Sab Jun 22, 2013 9:06 pm

Os cabelos de Leonard balançava conforme o suave vento frio da noite calada zumbia diante de seus ouvidos. O garoto envelhecerá rapidamente, e agora estava com o futuro contado. Estava sentado em um Shelby cobra ano 97, de cores brancas, e listras pretas. A noite agradável fora transformada em uma ruína logo após uma mensagem de Íris, vinda de Quíron, pedindo para que este, resgatasse uma filha de Afrodite, na movimentada Nova Iorque. Ele tinha apenas uma imagem revelada pelo grande centauro. A garota tinha aproximadamente 15 anos, cabelos loiros, olhos azuis, uma pele extremamente lisa, e roupas estilo Punk. Talvez não tivesse recebido a benção de Afrodite ainda.


Virou a esquina da 74 com a 65, e logo avistou a menina, sentada em um Cyber Café com outros 2 jovens. Porém, tudo que pudesse desanimar Leonard, acontecerá. Um dos amigos da garota era uma Empousai, mas devido a névoa, ela não via a verdadeira forma da criatura. Leonard estaciona o veiculo, e se dirige ao Cyber Café. Com seu manto cobrindo seu corpo mais parecia um dos feiticeiros da saga de Harry Potter. Tyrfing estava logo na bainha, porém, não podia ser vista pois estava coberta pelo manto. 


- Um café expresso, por favor ! - pede Leonard, ao chegar no balcão, porém sem perder a garota de vista - São R$ 02,00 dólares - diz o balconista, enquanto o rapaz recolhe o café e paga o mesmo.


. . .


Ficastes aproximadamente meia-hora no local, até o momento em que a garota foi embora, junto da criatura, a qual estava disfarçada pela névoa. Entretanto, o outro jovem fora embora. Eles atravessam a rua, e se dirigem para um beco. Lá, começam a conversar, descaradamente, sem ninguém por perto, era o momento certo da Empousai atacar. Suas unhas enormes cintilavam entre o quadril da garota. 


O jovem Leonard reage, e lança uma pequena esfera negra na cabeça da Empousai, fazendo um tufo de cabelo da mesma se desfazer em chamas.


- Sinto cheiro de Meio-sangue ! - sua voz era grave, como se estivesse raspando suas garras em um quadro negro -  Pois bem, então tire as mãos da garota e vá embora, do contrário, sofrerá as consequências ! - arqueja Leonard.


A empousai não hesitou, agarrou a garota, e abriu voo. Leonard abre suas asas negras, e segue a criatura. A garota se debatia sem parar, até que a Empousai desiste, e desce, logo abaixo, em um parque florestal. Ela esquece a garota e ataca o jovem semideus. Com suas garras, tenta cortar o garroto, porém, apenas fez parte de suas garras serem quebradas devido o manto de Leonard. Ele retira Tyrfing da bainha, e investe contra a criatura, porém ela desvia, e crava parte delas na bochecha esquerda do semideus. Ele limpa o sangue com a manga do manto, e contra-ataca a empousai, desta vez, cortando as cinco garras da mão direita da Empousai. Ela grunhi em dor, mas logo ataca com a mão esquerda, que desta vez, ataca a barriga de Leonard, cortando sua camisa em exatos cinco cortes devido as garras. Ele ativa seu Escudo Veemente, e novamente investe contra a criatura. Ela sem saber, ataca o Escudo do jovem com suas garras da mão esquerda, porém, o contato com o material deixa-a fraca, cambaleando para o lado. O garoto usa sua energia negra, e cria um clone logo ao seu lado, que este por vez, segura a Empousai. Ela se remexe tentando se libertar, porém não consegue. 


Por final, Leonard aponta a Lâmina negra de Tyrfing no pescoço da criatura, e em seguida finca na mesma, fazendo-a se transformar em cinzas.


. . .


- Bem, deve estar achando tudo isso meio confuso, não é ? - pergunta Leonard a menina, a qual assenti com medo - Não se preocupe, logo logo vai entender, agora, se puder me acompanhar, vou lhe contar algumas coisas sobre mitologia grega.


Ambos saem em direção ao Shelby de Leonard, a garota com toda suas certezas, fica desconfiada, porém começa a entender devagar tudo que estava por vir á sua vida !






Gostei * - * 


3500 XP
1000 DRACMAS


~ Tânatos  ~
avatar
Leonard
Filhos de Tântanos
Filhos de Tântanos

Mensagens : 69
Data de inscrição : 08/05/2013
Idade : 26

Ficha do personagem
HP:
181/181  (181/181)
MP:
197/197  (197/197)
Level: 15

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Tropa de Resgate

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum